Escolha o resort e as datas e solicite a sua reserva online nos resorts liberais

Garanta seu lugar no cruzeiro mais sensual do mundo!

Caso tenha alguma dificuldade em reservar, entre em contato que retornaremos em breve.
Troca de casais

Casais que já estão há um certo tempo juntos podem, em algum momento da vida, ter dúvidas e também vontade de experimentar coisas novas. Por exemplo, ter curiosidade de estar com mais de uma pessoa na cama, mas medo de estragar o casamento. Ou sentir que novas experiências sexuais  farão o relacionamento sair da rotina e darão uma repaginada na vida a dois. E isso não significa que o amor acabou.

Conversamos com três mulheres -- mães e esposas que amam seus maridos e famílias -- que, assim como seus parceiros, têm desejos sexuais e que encontraram no swing e sexo a três uma maneira de exercitar isso. Abaixo elas dão detalhes de suas aventuras na busca pelo prazer e pela manutenção da relação. Contam como o casamento melhorou, falam de confiança, debatem limites e discutem se é traição ou não transar com mais de uma pessoa.

Sou casada há 10 anos e há quatro senti que meu casamento tinha caído na rotina

Dentro do acordo de Lorena e do metalúrgico David* somente ela pode sair com outras pessoas, ele não. "É algo que ele deixou, não eu”, explica ela logo no início do bate-papo.

"O sexo entre nós só rolava duas vezes por semana e, ainda assim, era mecânico, de virar para lado e fazer, às vezes, nem orgasmos eu tinha. Por mais que fosse ativa e gostasse de fantasias, sentia que ainda faltava algo. Então, eu e o marido decidimos buscar alternativas.

Primeiro tentamos a troca de casais, mas ele não curtiu muito. Então, resolvemos tentar o sexo a três tanto com homem, como com mulher... até que encontrássemos o melhor tipo de relação para a gente. No nosso caso, o ménage à trois (sexo entre três pessoas) foi o que mais se encaixou.

Descobrimos que o meu marido sentia mais tesão ao me ver transando com outras pessoas – tanto homens quanto mulheres. Mas ele não fica com os caras. Nos comunicamos com as pessoas por meio de redes sociais específicas e juntos escolhemos quem mais nos interessa. A única recomendação dele, que nem sempre está presente, é que eu tire fotos, faça vídeos e conte os detalhes".

- - publicidade - -

Benefícios para o casamento

"Ele ama ver, saber detalhes dos encontros... se transforma. Quando saio e mando as fotos, os vídeos por mensagem, ele chega em casa ‘transtornado’. E ficamos juntos, afinal, não é porque fiz fora que não vou transar com meu marido também. Para mim não é cansativo, eu gosto. Mas é claro que ele respeita meus limites quando não estou disposta. Hoje em dia, fazemos sexo um dia sim e outro não, ficamos excitados com as histórias que criamos. A pegada também está diferente, melhorou.

Até hoje não tivemos nenhum problema entre nós, não temos ciúmes. Posso dizer que nos tornamos mais seguros em relação ao casamento, pois ninguém precisa esconder nada, amadurecemos. Mudei também como mulher. Minha autoestima melhorou, aceitei mais meu corpo – com a gravidez engordei alguns quilos e me sentia mal, já não fazia questão de me arrumar. Mas aprendi que sempre terá alguém te desejando. Se você pode ter algo que melhore a relação e dê mais prazer aos dois, por que ficar só com o mais simples? 

Não é todo dia ou toda semana que rola ménage ou saídas. Os encontros costumam acontecer a cada 15, 20 dias. Gosto de conhecer, conversar fora das redes sociais, saber o real interesse dos envolvidos. Sempre tem que tomar cuidado, analisar e estabelecer uma confiança. Existe muita gente mal-intencionada, que costuma entrar acessar os aplicativos sem a mulher ou o marido saber. Já tive amigos que sofreram ameaças com vazamentos de fotos.

Bela, recatada e do lar

No dia a dia, temos uma rotina tradicional de casal, bem 'recatada e do lar [risos]'. Cuido das minhas filhas, uma de 11 anos e outra de 7, limpo a casa, vamos à igreja. Até pouco tempo trabalhava como auxiliar de RH. Sou uma pessoa atuante na minha igreja [católica], participo de projetos da comunidade, já coordenei grupo de jovens, minha fé não se abalou. Continuo fazendo o bem para as pessoas, não faço mal para o meu marido. 

Infelizmente, tem muito preconceito, as pessoas acham que é traição. Mas para mim, traição é algo que você faz sem o consentimento do seu parceiro. Se é para melhorar a relação a dois, não é algo errado. Gostaria que as pessoas entendessem, conhecessem esse universo. Posso garantir que as aventuras do casal não interferem na educação que damos às nossas filhas. Não deixamos de ser menos pais, de sair com elas ou participar de eventos familiares porque transamos com outras pessoas."

Viagens do prazer 

Resort Hedonism IIA fisioterapeuta Mariana, 29, e o engenheiro Marcelo*, 36, estão casados há dois anos, são pais de gêmeos e costumam viajar pelo menos duas vezes por ano para participarem de swings. Eles já estiveram no México, Miami, EUA, Itália, Jamaica e o próximo destino será Amsterdã, na Holanda, e Alemanha onde ficarão quatro e dois dias, respectivamente. As diárias de alguns hotéis chegam a custar cerca de R$ 6 mil.

“No início, ele não gostava da ideia de outro homem ficar comigo. Eu ficava só com mulheres, mas ele acabava aproveitando mais. A primeira troca ocorreu em Cancún em um resort para pessoas iniciantes no swing. Ficamos com um médico e uma dentista”, lembra Mariana.

"Longe dos passeios temáticos, os swings ocorrem de uma a duas vezes ao mês. Meu marido tinha medo de eu trocá-lo por outro homem, mas isso passou. No outro dia, estamos só eu e ele. E é bom sair da rotina, daquela coisa de ‘mamãe e papai’ [posição sexual]. Você também escapa do ambiente familiar e pode ficar com outra pessoa sem precisar trair ou criar laços. E, ao mesmo tempo, pode viver momentos diferentes ao lado da pessoa que você ama. No fim, ambos realizam suas fantasias. Eu me realizo tanto com homens quanto com mulheres".

Casamento feliz e vida sexual muito boa, obrigada!

"O sexo melhorou, afinal, podemos relembrar situações, criar novas... Temos mais prazer juntos. Muitas vezes vamos aos clubes de swing e só olhamos os outros transando, não fazemos nada".

Julgamentos?

"A verdade é que existe muito preconceito, algumas mulheres costumam julgar como algo sujo ou questionar: ‘não sou lésbica, por que vou ficar com outra mulher?’ No fim, o que falta é comunicação e sinceridade entre os casais. Por isso as traições acabam ocorrendo.

Posso garantir que a cumplicidade no meu relacionamento aumentou e porque não dizer que o swing também pode ser a solução para uma crise?

A gente varia o cardápio sem precisar mentir ou trair. Mas meu relacionamento não é aberto, porque não saio com outros homens e nem ele com outras mulheres. É aberto somente quando estamos juntos na situação. No dia a dia, a vida é normal, gostamos de estar a sós, cuidar dos filhos, sair para jantar em bons restaurantes.

Um dia queremos ter um poliamor (relacionamento entre três pessoas, mas com sentimento envolvido). Já tentamos nos relacionar assim, mas ainda não deu certo, ou só gostam de mim, ou só dele."

Nossa realidade é mil vezes melhor que há sete anos 

Assim como os outros casais, Milena, 26, e Fred*, 36, são pais, eles têm um menino de 1 ano e 5 meses, trabalham, vão à missa e revezam os fins de semana que saem para se divertir. “Sou operadora de logística, uma pessoa normal. Meus amigos de trabalho sabem para quem correr quando precisam de ajuda. Sempre estou disponível para conversar e ouvir", conta a curitibana.

"No meu aniversário do ano passado, tivemos a primeira experiência a três, mas, como sou um pouco ciumenta, em todas as nossas relações a três quem fica com a outra mulher sou eu, meu marido tem relação apenas comigo e também não fico com outros homens. Importante, combinamos isso antes de irmos ao swing. Também somos exibicionistas, gostamos mais de mostrar nossa relação do que efetivar a troca de casais.

Desde que começamos, posso dizer que minha confiança nele aumentou, somos mais realizados sexualmente e nos respeitamos. Tenho certeza que hoje ele não me trairia, pois como ele fala ‘não tem motivos para procurar outra’. Não temos tabu entre nós, nossas conversas são mais abertas, nossa sintonia. Nossas experiências confirmaram o nosso amor, temos certeza que encontramos a pessoa certa para passar o resto de nossas vidas".

Meu pai também frequenta casas de swing

Mas vamos em casas diferentes, nunca nos encontramos. Vejo como uma situação normal, sempre tivemos a mente aberta. Meu pai foi a primeira pessoa com quem eu conversei sobre sexo. Depois disso, ele deixou que eu fizesse as minhas próprias escolhas. Meu pai até já falou para irmos um dia juntos, [risos].

Meu conselho para os outros casais é estabeleçam limites entre vocês, conversem bastante e se joguem! Mas lembrem-se swing não salva casamento falido. O casal precisa se amar muito e acima de tudo se respeitar”, defende Milena.

*Os nomes dos entrevistados foram trocados para preservar a identidade deles.

- - publicidade - -

BBB Fernanda Keulla em resort de swingA vencedora do Big Brother Brasil 2013, Fernanda Keulla, aproveitou o feriado em outubro para conhecer o Temptation, resort liberal localizado em Cancun, no México.

Em entrevista para a revista Quem, Fernanda falou da experiência de se hospedar em um resort de swing. Leia alguns trechos abaixo.

"Eu imaginei que seria um hotel para pessoas jovens e para casais, porque não podia ter crianças. Eu entendo isso, de ser um hotel mais adulto. Mas eu não imaginava a cultura que se tinha aqui, de topless e das pessoas se sentirem à vontade com o próprio corpo. Foi uma libertação estar aqui!", disse a ex-BBB Fernanda Keulla.

O hotel Temptation tem um conceito liberal, incentiva casais a se conhecer e também permite o topless nas áreas comuns, além da troca de casais em áreas específicas.

"A gente é muito 'noiada' com pequenas coisas, de celulite, gordura localizada. Aqui, as pessoas são tão livres! Independente do corpo, independente se está gordinha, magrinha, elas tiram a roupa, fazem topless. Isso é uma coisa que não causa um estranhamento e não é fora dos padrões. As pessoas curtem e se divertem, você vai se sentindo bem, se sentindo feliz com você mesma. É uma liberdade muito boa".

Sobre participar de um reality show com o conceito do hotel, voltado para adultos e em um ambiente mais sensual, Fernanda nega a ideia. "Eu não participaria por conta do meu pai! Ele ia dar uns tremiliques (risos). Eu acho que seria muito legal, as pessoas tem que se libertar desse preconceito. O Brasil tem o carnaval, que as pessoas se mostram, mas elas às vezes têm uma certa hipocrisia em achar que o nu está ligado com algo que não é legal. Temos que abrir a cabeça e conhecer novas coisas. Ver que a nudez é tratada de outras maneiras em outras culturas também".

- - publicidade - -

Fernanda foi a vencedora do BBB 13 e relembra a época do reality com saudade. "Eu vivi tanta coisa depois do Big Brother e é sempre um saudosismo gostoso. O meu Big Brother foi uma edição muito rica de atividades. A gente fez muita coisa que não existe no mundo real, parece fantasia! As provas, os carros que eram disputados, as atividades... Era muito mágico! Cada dia a gente acordava com uma emoção diferente. A gente conversa às vezes, por rede social, e eu fico muito saudosa e fico rindo dos momentos que a gente teve lá".

 

purilia portugalVasco Maria e Cristina Maria Madeira, nomes fictícios, têm 29 anos e ficaram a saber sobre as festas Purília depois de verem uma reportagem na televisão. Enviaram a sua candidatura, foram entrevistados pessoalmente e, em 15 dias, fecharam o processo para fazerem parte da comunidade Purília em Portugal. O que mais os surpreendeu foi o glamour — desde o motorista com limusine que os levou à festa, em ambiente de total secretismo, até ao espaço em si.

Na sala principal, havia alguém ao piano acompanhado por um jovem a cantar. Vasco e Cristina não prestaram muita atenção — rapidamente começaram a “travar conhecimentos”.

“Vê-se muito sexo, faz-se muito sexo, tudo anda à volta do sexo”, revelaram no seu testemunho, divulgado ao site NiT pela comunidade Purília.

“Vimos outros casais com casais, casais com singles, singles com singles (…) fomos convidados imensas vezes a juntarmo-nos a outras pessoas e convidámos outras pessoas a juntarem-se a nós. Observámos, fomos observados. Uma noite a não esquecer.”

A inspiração das festas Purília vem do filme de Stanley Kubrick, “Eyes Wide Shut” (De Olhos Bem Fechados, em português), mais precisamente da festa secreta de sexo em que participa o protagonista Bill Harford, papel interpretado por Tom Cruise. Em homenagem ao filme, as festas principais chamam-se Eyes Wide Shut, tal como o título original do filme.

- - publicidade - -

Vestidos de gala para elas, smokings para ele e máscaras de Veneza para os que querem manter o anonimato. Tudo isto em casas particulares, hotéis de cinco estrelas e até palácios — tudo sempre mantido no máximo secretismo.

Erotismo, sexo, luxúria e glamour, muito glamour. Os eventos da comunidade Purília são provavelmente os mais exclusivos de Portugal. A festa de passagem de ano já está anunciada no site da Purília e custa “apenas” 4.950 euros por casal. E para se inscrever tem ainda de passar um “casting” para se tornar membro da comunidade.

Contatos: WhatsApp +351 91 551 05 32 | Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Os adeptos do relacionamento liberal (com direito a swing e troca de casais) podem se preparar para participar do Encontro Nacional de Casais Liberais, que acontece nos dias 15 e 16 maio, em Belo Horizonte. O evento está já sua oitava edição e deve reunir mais de mil pessoas, conforme os organizadores. Além de casais modernos, donos de casas de swing também participarão - todos trocando experiências e novidades sobre o assunto.

A ideia é rechear os dois dias do evento com atrações que integrem os casais. “Haverá shows de strip-tease com modelos de filmes eróticos, vendas de produtos eróticos, vendas de roupas voltadas para o segmento, lançamento de livros, stand de filmes eróticos , assim como uma palestra de uma sexóloga, expondo mais sobre os swings, suas vertentes e tendências”, informa Cacau Oliver, da assessoria do evento.

Na comunidade do Vila Mulher, muitas tem dúvidas sobre a prática. É o caso da "Anjinha" que, no Fórum de Amor e Sexo, pergunta como funciona, se rola ciúmes, se há sintonia, dá prazer ou acaba com o casamento.

Com tantas informações, o evento acaba sendo porta de entrada para os casais liberais que tem a curiosidade e o interesse no swing - já que os participantes poderão conhecer mais sobre a prática, assim como sobre o perfil das pessoas adeptas. E os casais trocarão experiências e buscarão intercâmbios com casais de outras regiões do Brasil. Segundo a organização do evento, o interesse pelo swing por aqui tem crescido de forma acelerada a cada ano, assim como a média de idade dos adeptos tem caído.

Para esta edição, o encontro buscou inspiração na atração global “Caminho das Índias”, e promete uma viagem pelo universo indiano com muito prazer e grandes descobertas. Os organizadores querem que os casais se sintam transportados para outra cultura e acreditam que a ambientação pode aguçar o “apetite sexual” dos convidados. As inscrições antecipadas podem ser feitas pelo 31 3201 6545.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Entre as fantasias sexuais que mais agradam aos casais, o voyeur é a preferida e a mais realizada. Não há um casal que não se sente excitado vendo ou se imaginando sendo visto enquanto praticam sexo, muitos frequentam boates de swing somente para 'brincar' na presença de outros casais (veja o vídeo abaixo).

banner-desire-3 300x250

Em nosso blog pessoal já relatamos algumas experiências muito excitantes e inquietantes onde o voyeur era o ingrediente picante.

Então, quando tivemos a oportunidade de visitar os resorts da rede Desiré (Desiré Pearl e Desiré Riviera Maya), não pensamos duas vezes, pesquisamos em alguns blogs de outros casais e sites de swing para sabermos como chegar, o que levar e até mesmo como nos comportar lá e foi aí que encontramos matérias que nos deixaram ainda mais interessados nesta viagem. 
Para quem não é do universo swing, deve estar achando estranho nós falarmos em 'como nos comportar em um resort para casais liberais e adultos', então vamos explicar. O universo do swing não é uma orgia, há regras e o comportamento é a chave para o sucesso.

Nossa viagem está programada para Fevereiro, vamos pela primeira vez e escolhemos o Desiré Riviera Maya para nos receber e apresentar a novidade. Como ainda temos tempo até lá, estamos procurando por alguns casais que queiram nos acompanhar nesta nova experiência, os interessados podem entrar em contato por e-mail ou pelo telefone: (31) 4042-6700.

Em breve taremos mais novidades para vocês, enquanto isto leiam os relatos em nosso blog | http://ocasal.brasilswing.com.

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba informações quentinhas sobre o universo liberal.